Escolha uma Página

O pedido de referências profissionais é uma prática que faz parte do processo seletivo. Durante a seleção, os candidatos costumam ter uma postura exemplar, e muitas vezes fica difícil escolher um profissional diante de tantas opções. A referência assume um importante papel na hora de decidir qual é a contratação mais adequada.

Alguns currículos podem apresentar informações sobre esses contatos. Em outros casos, é preciso solicitar esses dados diretamente ao entrevistado. No entanto, o pedido deve ser feito com tempo e a análise nem sempre precisa ser uma entrevista em si.

Para descobrir quais são as opções que contemplam essas práticas, continue a leitura deste artigo. Descubra como buscar essas referências profissionais e acertar nas contratações!

1. Fazer uma checklist

Antes de qualquer coisa, é necessário que o recrutador faça uma checklist dos pontos-chave que precisa para formar uma opinião sobre o candidato e não correr o risco de esquecer de questionar algum aspecto importante.

Não é bom entrar em contato diversas vezes com os mesmos contatos disponibilizados como referências profissionais para sanar alguma dúvida ou fazer um questionamento que tenha sido esquecido.

Como em toda checklist, pensar com antecedência nos pontos que serão abordados ajuda a conduzir melhor esse tipo de entrevista e contribui com o processo seletivo como um todo, agilizando o processo.

2. Entrar em contato com as referências profissionais via telefone

Com a checklist em mãos, chegou a hora de iniciar o contato com as pessoas listadas como referências profissionais — isso pode ser feito via telefone.

O contato por telefone até hoje é uma das formas mais utilizadas nesse processo, e para que seja possível, deve ser solicitada ao candidato no momento da entrevista uma pequena lista de contatos com quem ele já trabalhou, preferencialmente nos três últimos empregos.

Ao realizar esse contato, antes de mais nada você deve ser cordial e fazer uma boa apresentação. Como essas informações são pessoais e de certa forma confidenciais, é importante que a pessoa do outro lado da linha entenda seus objetivos e dê referências sinceras.

Atenção: isso não significa que o profissional possa fazer críticas pessoais ao candidato. Informações a respeito de um temperamento difícil podem ser aceitas, mas as referências não devem ofender ou manchar a imagem do indivíduo em questão. Se isso acontecer, desconfie.

3. Solicitar uma carta de referência

O candidato pode ser o responsável por conceder as próprias referências profissionais por meio de uma carta escrita pelos ex-patrões e entregues durante o processo de seleção. No entanto, o procedimento deve ser solicitado com antecedência.

O recrutador deve informar o conteúdo desejado, como o nome do indivíduo, o período em que trabalhou, o cargo na empresa, o telefone e o carimbo.

Também é necessário ter um tempo hábil para que a carta de referência possa ser providenciada, uma vez que muitos gestores e profissionais do RH têm uma agenda apertada e podem demorar para responder à solicitação.

4. Fazer contato por e-mail

O e-mail é um canal eficaz e um tanto quanto simplificado para a busca de referências. Por meio dele você pode enviar o questionário diretamente à pessoa indicada e aguardar que ela responda no momento que for mais oportuno.

O assunto do e-mail, a cordialidade e a apresentação também fazem toda a diferença na hora de obter informações verdadeiras e sinceras sobre os candidatos. Do contrário, o e-mail pode, inclusive, ser ignorado.

Também é importante deixar um telefone para contato disponível, pois como tudo o que é enviado fica registrado, a pessoa pode não se sentir à vontade para escrever.

5. Usar o LinkedIn

O LinkedIn disponibilizou um novo recurso na sua plataforma em que é possível que o candidato peça referências profissionais aos seus ex-colegas de trabalho. Ao entrevistar um indivíduo que seja usuário assíduo da rede, é possível que a informação já esteja lá, sem que haja a necessidade de um pedido ou de um possível contato com a pessoa.

O bom é que, por se tratar de uma rede social, você consegue verificar o perfil de quem fez a postagens e descobrir por conta própria se é original, o cargo ocupado na empresa e outras informações. Por se tratar de um espaço profissional, dificilmente você encontrará fakes.

6. Aplicar a escuta ativa

Aplicar a escuta ativa significa que o recrutador deve prestar atenção ao entendimento do relatado, anotando as informações mais relevantes para ajudar na interpretação.

A prática também exige o uso de perguntas complementares para auxiliar na compreensão das respostas recebidas. Em casos que a pessoa reage apenas com “sim” ou “não”, o interessado deve saber como conduzir o diálogo de maneira a estimular a fala para receber respostas mais concretas.

É interessante também adotar estratégias para confirmar o que foi exposto. Repita o que você entendeu e questione se a informação está correta.

7. Elaborar perguntas inteligentes e estratégicas

Com a checklist em mãos e a forma de contato escolhida, chegou a hora de planejar as perguntas que vão servir para que você tenha todos os esclarecimentos necessários para fazer uma boa contratação.

Essa etapa pode ser considerada a mais importante, pois serve como base tanto para a entrevista com o candidato quanto para a pessoa que foi apontada como referência.

A checklist mencionada no início deste artigo deve apresentar os pontos que precisam ser explorados. O ideal é que ela seja dividida por tópicos ou categorias, para auxiliar na construção das perguntas. Sugerimos os seguintes grupos:

  • habilidades técnicas;
  • temperamento;
  • comprometimento com as normas da empresa e da função ocupada;
  • condições do contrato.

Esse será o ponto de partida para formular as questões que validem informações e solucionem dúvidas. A partir daí, duas abordagens podem ser seguidas:

Perguntas fechadas

Questionamentos taxativos que devem ser utilizados quando a resposta for sim ou não ou dados específicos sobre o candidato — como a remuneração do cargo anterior, se o antigo patrão o contrataria novamente etc.

Perguntas abertas

Utilizadas para se aprofundar nas informações já obtidas na entrevista com o candidato, como questões de relacionamento interpessoal, comportamento e temperamento.

Iniciar as perguntas sempre com “como” e “por que” funciona como um gatilho para que a pessoa forneça um relato.

As referências profissionais são requisitos básicos para que o processo seletivo seja um sucesso. Avalie o perfil da empresa e o da vaga em questão para definir a melhor maneira de entrar em contato com os antigos contratantes do candidato e aumente as chances de acertar na seleção!

Nosso artigo foi útil para você? Gostaria de ter acesso a mais conteúdos que ajudem na rotina do RH? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro das novidades!

ebook manual contratação eficiente