Escolha uma Página

A entrevista é um dos momentos cruciais em um processo de recrutamento e seleção. É nela que o entrevistador tem condições de aumentar a sua percepção sobre cada um dos candidatos e conhecê-los além das descrições do currículo. Por isso, é tão importante incluir perguntas comportamentais nessa etapa.

Se você não sabe muito bem do que estamos falando ou como aplicar essas perguntas, não se preocupe. Neste post, vamos explicar o que são as perguntas comportamentais, qual é a sua funcionalidade, por que aplicá-las e, finalmente, vamos compartilhar uma lista com as perguntas mais eficazes para você testar nas próximas entrevistas!

Vamos lá?

O que são perguntas comportamentais?

 

como-estruturar-um-processo-de-contratacao-completo-em-8-passos.jpeg

 

As perguntas comportamentais são uma forma de o entrevistador analisar o candidato sob outros aspectos que não sejam apenas as suas competências. A partir delas, é possível descobrir se, além de aptidão para o cargo, o profissional tem condições de atuar no ambiente de trabalho da empresa, por exemplo.

As principais características dessas perguntas são:

  • a relação de competências com situações cotidianas;
  • a possibilidade de o candidato explicar abertamente sua resposta;
  • o espaço para entender as reações dos candidatos no cenário organizacional.

Quando bem aplicadas, essas perguntas têm o poder de esclarecer muitos traços da personalidade de cada um dos candidatos à vaga, dando uma ideia de como seria o dia a dia de trabalho com a pessoa.

Agora que você já entendeu o que são as perguntas comportamentais, vamos conferir qual é a sua funcionalidade.

 

Qual é a sua funcionalidade?

A principal funcionalidade das perguntas comportamentais é ir além do óbvio. De certa forma, elas servem para pegar o candidato de surpresa e fazer com que ele responda de forma mais espontânea sobre determinados aspectos.

Além disso, é possível identificar traços importantes em relação:

  • ao caráter;
  • à honestidade;
  • à espontaneidade;
  • à personalidade;
  • à capacidade de reação.

Obter essas informações pode auxiliar muito na qualidade do processo seletivo. Quer saber como? Confira o nosso próximo item!

 

Por que aplicar perguntas comportamentais?

As perguntas comportamentais tornam o processo seletivo mais humanizado e próximo do candidato, servindo para analisar não só os aspectos técnicos, mas também os situacionais. O resultado é uma seleção muito mais acertada.

Entre as razões pelas quais essas perguntas devem estar na entrevista, está a possibilidade de obter um parâmetro sobre as habilidades intrínsecas ao candidato, especialmente sobre seus níveis de:

  • comprometimento e responsabilidade;
  • entendimento da empresa como um todo;
  • cooperação e trabalho em equipe;
  • foco em desempenho e resultados;
  • criatividade, inovação e flexibilidade;
  • relacionamento interpessoal e inteligência emocional;
  • comunicação interpessoal;
  • liderança e proatividade.

Quais são as principais perguntas comportamentais?

 

1. Como era o seu chefe anterior?

Nós sabemos que a sua empresa não tem interesse real em saber como era o antigo chefe do candidato. No entanto, essa é uma pergunta que possibilita entender melhor o nível de profissionalismo com o qual a pessoa consegue descrever seus superiores quando eles estão ausentes. Assim, é possível perceber se a intenção do candidato é denegrir a imagem do chefe anterior, demonstrar insatisfação ou apenas responder a pergunta.

 

2. Se você fosse demitido por alguma razão, qual seria ela?

Reconhecer as próprias limitações é um ponto crucial para poder desenvolver habilidades ou mesmo evitar situações constrangedoras. Pensando nisso, essa é uma pergunta que sugere uma breve autoavaliação do candidato.

Com ela, além de entender melhor o nível de honestidade do indivíduo ao responder a pergunta, é possível entender um pouco mais sobre a sua humildade e o seu nível de maturidade ao lidar com as próprias imperfeições.

 

3. Como você lidaria com um colega de quem não gosta?

O trabalho em equipe é uma peça-chave no dia a dia de uma empresa. Por isso, é importante saber sobre a capacidade de resposta do candidato a situações ou pessoas desagradáveis para ele.

O mais importante nessa pergunta é avaliar o nível de inteligência emocional e de maturidade profissional com que o candidato consegue lidar mesmo com aquelas pessoas de quem ele não gosta.

 

4. Se o seu superior solicitasse a você realizar uma tarefa que não faz parte das suas funções, como você reagiria?

Nessa pergunta, as possibilidades de interpretações são bastante vastas. Com ela, o entrevistador pode avaliar o nível de:

  • proatividade;
  • interesse;
  • curiosidade;
  • comprometimento;
  • engajamento.

Assim como alguns candidatos consideram essa uma maneira de aprender algo novo, outros simplesmente não gostam da ideia de ter uma tarefa que não constava inicialmente na descrição da vaga. Nesse último caso, é bom que você saiba o quanto antes.

 

5. Se eu ligar para as suas referências, o que eles me dirão sobre você?

Essa é outra pergunta que possibilita a autoavaliação do candidato. Além disso, ela permite que o profissional elenque características importantes do seu perfil que já tenham sido reconhecidas em outros momentos. Geralmente, quando solicitamos que uma descrição como essa seja feita, é normal que o candidato relembre aqueles adjetivos que mais recebeu durante seus feedbacks.

 

6. Como você resolveria erros ou situações de conflito no seu dia a dia de trabalho?

Imaginar uma situação desconfortável, como um erro ou conflito em ambiente de trabalho, aciona a criatividade e desperta um espírito solucionador na maioria das pessoas. Com isso, é possível avaliar se o candidato tem um perfil mais proativo ou conciliador, por exemplo.

Em algumas situações, os candidatos responderão que esperariam o problema se resolver sem se envolver ou apenas reportariam o erro para os interessados. Em outras, você receberá respostas, como:

  • “eu tentaria intermediar e solucionar o problema”;
  • “corrigiria o meu erro o quanto antes”.

 

7. Qual foi o seu cliente mais difícil, por que e como você contornou a situação?

Perguntas compostas, como essa, exigem a capacidade de raciocínio rápido, organização das ideias e memorização por parte do candidato. Dessa forma, você poderá avaliar quão atento é o profissional.

Além disso, você também terá uma ideia de como essa pessoa age em relação a situações que exigem soluções rápidas e criativas, assim como habilidades interpessoais e de resolução de conflitos.

 

8. Como você faz para motivar pessoas quando você depende do time para realizar uma entrega?

Essa pergunta é ideal para quem quer avaliar aspectos de:

  • liderança;
  • relacionamento pessoal;
  • comunicação interpessoal;
  • trabalho em equipe.

Com essa resposta, é possível ter uma noção de como o profissional atua em equipe e o quanto sua participação pode contribuir para os seus times de trabalho.

Agora que você já sabe o que são e quais são as principais perguntas comportamentais existentes, deixe seu comentário e conte-nos o que mais você incluiria na entrevista!

 

ebook manual contratação eficiente