Escolha uma Página

As pessoas são o principal diferencial de uma empresa. É por meio delas, afinal, que as organizações conseguem garantir o sucesso de seus negócios. Portanto, é cada vez mais importante contratar pessoas alinhadas, com processos seletivos que envolvam o mapeamento de perfil comportamental.

A construção de equipes de alta performance, depende da preparação de um processo seletivo que esteja de acordo com as expectativas da empresa. Por isso, quanto mais completos os processos de seleção de pessoal, mais acertada será a composição dos novos times de trabalho.

No entanto, o mapeamento de perfil comportamental não gera apenas o benefício de uma boa escolha nas contratações, mas uma série de outras vantagens importantes. Pensando nisso, separamos no conteúdo de hoje as principais informações que vão ajudar você a entender melhor:

  • o que é mapeamento de perfil comportamental;
  • qual a sua importância no processo de seleção de pessoas;
  • como ele pode ser aplicado na sua empresa.

Vamos conferir?

O que é mapeamento de perfil comportamental?

A grosso modo, o mapeamento de perfil comportamental pode ser percebido como um método utilizado para identificar competências e habilidades. Para isso, são utilizadas diversas técnicas que viabilizam identificar padrões no comportamento de um profissional, considerando características, como:

  • modelo mental;
  • preferências;
  • motivações;
  • limitações.

Como, muitas vezes, os candidatos a uma vaga podem ter habilidades semelhantes entre si, é importante que sejam considerados os seus traços comportamentais no momento de decidir quem melhor se encaixa nos objetivos da empresa.

Em geral, existem 4 grupos de perfis comportamentais dominantes, conhecidos como:

  • comunicadores — aqueles profissionais com facilidade de comunicação, extrovertidos, de fácil adaptação, que valorizam o relacionamento interpessoal e trabalham muito bem em equipe;
  • executores — aqueles profissionais com forte senso competitivo, que encaram a autoridade como algo positivo, procuram aceitar mudanças rapidamente e se sentem motivados ao enfrentar desafios e obstáculos;
  • planejadores — aqueles profissionais com inclinação para seguir normas e procedimentos, valorizam a prudência e geralmente são calmos e tranquilos ao enfrentar as adversidades do dia a dia;
  • analistas — aqueles profissionais voltados para o fluxo operacional, com visão crítica e detalhista, gostam de atuar com cuidado e agilidade, têm fome de conhecimento e são bons solucionadores.

A partir da compreensão desses grupos, fica mais fácil entender as forças e fraquezas de cada um e como elas se adaptam a cada função na empresa. Por isso é tão importante identificar se determinado perfil corresponde à vaga que precisa ser preenchida.

Para garantir um melhor resultado das análises e dos resultados gerados, são utilizados softwares para agilizar e processar as avaliações. Dessa forma, é possível garantir a imparcialidade e eliminar subjetividades durante a emissão de relatórios.

Apesar dessas análises gerarem relatórios bastante relevantes, é necessário que um profissional auxilie na sua interpretação. Portanto, o mais indicado é contar com uma equipe capacitada e especializada para prestar suporte tanto no processo seletivo quanto no planejamento de treinamentos posteriores.

Quando essa análise tem vistas para a identificação de potenciais talentos para o seu preparo e treinamento para assumir determinada função, ela pode ser encarada como um processo de assessment. Essa prática é voltada para o desenvolvimento profissional.

Qual a sua importância no processo seletivo?

O mapeamento de perfil comportamental nas contratações pode gerar informações importantes para todo o processo seletivo. Por meio dele é possível conhecer características que vão desde a inteligência emocional até o nível de energia de cada candidato.

Em conjunto, as informações obtidas pela análise permitem estabelecer um perfil bastante preciso do profissional. Dessa forma, fica mais fácil realizar a sua comparação com a vaga em aberto. Assim, a empresa pode escolher exatamente com quais carências ou fraquezas ela quer lidar no momento de treinar e desenvolver o candidato contratado.

Essa tática faz parte de um método de gestão conhecido como gestão por competências. Com isso, a empresa consegue alinhar todas as suas decisões e escolhas de acordo com a estratégia de sucesso do negócio, reforçando sua cultura empresarial.

Além de determinar uma maior eficácia da estratégia organizacional, o mapeamento do perfil comportamental nas contratações colabora para a melhor distribuição do capital humano dentro da empresa. Isso possibilita que os talentos sejam utilizados nas equipes e contextos certos, aumentando o desempenho profissional individual.

Como aplicar o mapeamento de perfil comportamental no processo seletivo?

O mapeamento de perfil comportamental pode ser aplicado no recrutamento, no planejamento, na compreensão dos objetivos pelos colaboradores, na interação do grupo ou mesmo na autorreflexão de cada profissional. No entanto, para que isso tudo seja efetivo, é preciso respeitar alguns passos.

Tenha um “perfil ideal”

O primeiro deles diz respeito à definição de um perfil ideal para a vaga que precisa ser preenchida. Nesse caso, de nada adianta conhecer o perfil comportamental de todos os candidatos se você não souber qual deles será mais produtivo na sua equipe, não é mesmo?

Para isso, basta fazer uma lista simples com as habilidades, capacidades e características que a empresa considera como ideais. Depois, selecione aquelas que realmente têm relevância para o preenchimento do cargo específico e faça a job description.

Tenha como parâmetro suas escolhas anteriores

Não é regra absoluta que isso garantirá a melhor seleção, mas a experiência pode ajudar você a ter uma ideia do tipo de profissional que dá certo e o que não dá naquela função. Além disso, contribuirá na melhor interpretação de algumas tendências de acordo com cada perfil, tal como:

  • a postura profissional;
  • o nível de educação;
  • as aspirações de carreira;
  • os fatores motivacionais.

Realize testes

Depois de definido o perfil de profissional que você deseja para a empresa, é hora de começar a testar quem se encaixa nele. Para isso, utilize de diversas ferramentas disponíveis, como:

  • simulações;
  • entrevistas;
  • testes estruturados;
  • dinâmicas.

Quanto mais simples e diretas forem essas ferramentas, melhor será para avaliar. Além disso, a padronização do processo de testes permite que você desenvolva um diagnóstico preciso e confiável do perfil do profissional.

Conte com um especialista

Seja para aplicar os testes ou mesmo para ajudar a interpretar os resultados, a contratação de especialistas é uma forma de garantir a eficácia da sua escolha. Dessa forma, um profissional capacitado ajudará a realizar contratações mais acertadas, a planejar treinamentos ou mesmo a identificar talentos mal aproveitados na empresa.

O mapeamento de perfil comportamental não serve apenas para as contratações, mas também pode ser utilizado em processos de:

  • inibição da taxa de turnover;
  • retenção de talentos;
  • realocação de profissionais;
  • desenvolvimento de lideranças;
  • otimização de integrações e treinamentos;
  • mapeamento de potenciais;
  • melhora de engajamento e performance;
  • identificação de gaps de desenvolvimento.

Como você viu neste post, o mapeamento de perfil comportamental pode fazer diferença nas contratações e mesmo na prosperidade da sua empresa qual a sua importância e como aplicá-lo no processo seletivo, nos conte como você acha que esse processo pode contribuir para a sua empresa. Deixe o seu comentário!

ebook manual contratação eficiente