Escolha uma Página

Você sabe como montar um organograma linear? Os melhores gestores de recursos humanos utilizam organogramas como poderosas ferramentas para análise da hierarquia de processos, áreas ou funções em uma empresa.

Saber escolher, entre os diferentes tipos de organograma, aquele que favorece a melhor análise gera uma visão mais holística da organização e proporciona diferencial de percepção aos gestores de pessoas.

Nesse contexto, entenda o que é, quando e como aplicar organogramas lineares em sua organização.

O que é um organograma linear?

O organograma linear, também denominado organograma de responsabilidades, tem um formato diferente dos demais. O interessante dessa ferramenta é poder cruzar cargos com funções e analisar o poder de ação em cada possibilidade.

Sendo assim, é possível identificar e diferenciar uma função com poder de delegar, coordenar e realizar uma atividade administrativa de uma função que tenha o poder de apenas realizar uma ação.

Quais as principais vantagens?

Com o organograma linear fica mais fácil identificar atribuições e responsabilidades em cada função organizacional. Também é possível obter uma avaliação mais clara e objetiva das interações entre os cargos no andamento da execução de cada atividade administrativa.

Os organogramas mais utilizados, como o vertical, o horizontal e o circular, têm formatos diferentes, mas apresentam uma mesma perspectiva de análise com hierarquia de funções ou áreas. Já no modelo linear, a perspectiva muda para hierarquia de responsabilidades e interações entre elas.

Confira agora algumas das principais vantagens desse modelo:

  • facilidade na identificação de atribuições por função;
  • aplicação simples;
  • facilidade na comunicação de ordens e informações;
  • decisão acelerada;
  • clareza em tarefas e cargos.

Como montar um organograma linear?

Mapeie processos, cargos e funções

Mapeie todos os processos executados pela empresa. Faça um diagnóstico e levante todas as nomenclaturas de cargos. Por último, identifique todas as funções na rotina administrativa e crie uma legenda com níveis de responsabilidade em cada ação, como “executa”, “controla”, “aprova” etc.

A legenda tem a função de facilitar a identificação das responsabilidades por visão gráfica. Sendo assim, você pode adotar uma figura geométrica para cada uma, por exemplo um triângulo para a responsabilidade “executa”, um quadrado para “controla” e um círculo para “aprova”. São apenas sugestões! Fique à vontade para escolher a melhor forma!

Estruture as informações em uma tabela

A partir das ações mapeadas, monte a estrutura relacionando cargos com funções e identificando o poder de execução em cada atividade administrativa. Disponha os cargos em colunas e as funções em linhas. No campo resultado de cada cruzamento você colocará as responsabilidades dispostas na legenda.

Monte formatos claros e objetivos

Ao montar qualquer organograma é necessário tomar alguns cuidados para que o desenho esteja legível para análise e compreensão da estrutura de cargos, funções e responsabilidades hierárquicas da empresa.

Sendo assim, siga essas importantes dicas:

  1. Certifique-se de que levantou todos os cargos, funções e responsabilidades e não utilize nomes, já que uma pessoa pode assumir diferentes posições em um organograma;
  2. Use cores para melhorar a distinção entre os quadrinhos. Essa é uma importante estratégia para tornar o formato mais amigável;
  3. Oficialize o organograma como um documento e disponibilize em locais acessíveis a todos e com as devidas orientações de interpretação.
  4. Use softwares próprios para elaboração do organograma. Excel e Power Point oferecem ferramentas e recursos para montagem e formatação.

Percebeu que o organograma linear tem particularidades interessantes em relação aos demais? Curta nossa página no Facebook e receba sempre posts sobre organogramas e outras ferramentas úteis para sua gestão!

ebook manual contratação eficiente