Escolha uma Página

Você sabe o que é entrevista comportamental? Com uma grande disponibilidade de candidatos em processos seletivos, encontrar o perfil ideal é uma tarefa cada vez mais desafiadora.

Cabe ao gestor de recursos humanos diversificar suas estratégias de seleção e acrescentar novas alternativas para melhorar sua análise e maximizar suas chances de acertar na escolha.

É nesse contexto que entra a análise de comportamento. Por meio dessa importante avaliação no andamento do processo é que o gestor encontra alternativas sólidas de avaliação. Como fazer? É o que apresentaremos agora neste artigo.

O que é entrevista comportamental?

A entrevista comportamental é um método alternativo de avaliação. Você já ouviu falar em casos de contratação por habilidade e demissão por comportamento? Pois é, muitos gestores enfrentam essa realidade.

Nesse contexto, esse tipo de entrevista surge para avaliar os traços de personalidade do candidato e evitar surpresas após a contratação. A técnica ajuda a identificar o perfil do futuro funcionário, entendendo como ele se relaciona no ambiente de trabalho, como avalia a si mesmo e como lida com os percalços e desafios diários.

Por meio da técnica também é possível identificar desvios comportamentais em empresas anteriores e melhorar a compreensão psicológica da personalidade do candidato.

Com a identificação de atuação passada abre-se a possibilidade de vislumbrar a performance futura. Dessa maneira, a metodologia auxilia no aspecto de previsibilidade e diminui as chances de turnover.

Nessa ideia de considerar comportamentos anteriores e evitar a entrevista tradicional mais engessada e mecânica, a análise comportamental vai além e oferece um panorama mais completo sobre a personalidade do candidato.

A entrevista comportamental entra na importância de escolher o melhor método de seleção para escolher talentos que deve ser baseado em comportamentos e atitudes no mercado de trabalho.

Quais as diferenças para a entrevista tradicional?

Existem entrevistas com teor mais tradicional e aquelas mais focadas no comportamental, mas o gestor pode optar por mesclar os dois modelos.

A entrevista tradicional geralmente se baseia no currículo e em questões sobre qualidades e defeitos, por que contratar, além de outras perguntas que privilegiam mais aspectos técnicos e menos psicológicos.

Já a entrevista comportamental monta cenários de atuação passados com base nas respostas e dá indícios de comportamentos futuros. Dessa forma, a análise se torna mais abstrata e incrementa aspectos mais analíticos do que na entrevista tradicional.

Como preparar?

Para preparar uma boa entrevista é importante que o gestor levante as questões mais importantes e identifique todos os pontos essenciais. Todas essas informações devem estar alinhadas ao perfil desejado pela organização. Entre os principais pontos a serem avaliados destacamos:

  • capacidade de trabalho em equipe;
  • adaptação a mudanças;
  • resiliência em adversidades;
  • potencial de liderança;
  • habilidade de relacionamento;
  • comunicação interpessoal.

Após essa etapa, o gestor desenvolve as perguntas alinhando expectativas, identificando virtudes e confrontando adversidades. Entender o momento atual da empresa e conhecer habilidades e comportamentos necessários são algumas das questões diretrizes.

Separamos algumas perguntas essenciais divididas em três aspectos diferentes: relacionamento com lideranças, com equipes e avaliação pessoal. Acompanhe as principais questões utilizadas na entrevista comportamental.

Você pode descrever o seu chefe anterior?

Por meio dessa pergunta você identificará facilidades ou dificuldades no relacionamento. Além disso, poderá perceber sentimentos maléficos como vingança ou virtudes de respeito à hierarquia e comando.

Você já executou tarefas sem concordar? Por quê?

Essa resposta reflete a capacidade de obediência a um modelo não aceito. A recusa em realizar um trabalho deve ser justificada apenas por questões morais e de ética que revelariam uma personalidade mais forte e um caráter favorável às decisões corretas.

Já entrou em conflito com um superior?

Nessa etapa é possível observar se o perfil é mais agressivo ou conciliador. Dependendo da resposta, o gestor identificará se o candidato é muito propenso ao embate, demasiadamente submisso ou equilibrado em situações de desacordo.

Como você se relaciona com desafetos?

Analise a capacidade de relacionamento interpessoal e o autocontrole do candidato. Por meio dessa pergunta é possível entender ou mensurar como ele trabalha a relação horizontal no ambiente de trabalho.

Você já conseguiu resolver algum conflito?

Outra pergunta que trabalha o relacionamento interpessoal e a capacidade de conciliação. Um perfil positivo para essa pergunta pode ser muito útil para manter a harmonia no ambiente corporativo. Outra vantagem é ter um clima organizacional mais brando e aberto ao desenvolvimento profissional.

Como você lida com o estresse do dia a dia?

É interessante que o gestor identifique como o candidato trabalha o estresse em si mesmo e nos demais colegas. Uma boa habilidade emocional está em identificar se isso é uma questão recorrente ou eventual. Caso seja em um colega, indica como ele faria para ajudar a resolver.

Quando comete um erro, como faz para corrigir?

Essa pergunta mede a capacidade de autoavaliação e a sinceridade do candidato. É possível que em alguns casos ele não admita que errou, o que reflete uma personalidade muito fechada e egocêntrica.

Por outro lado, admitir o erro e buscar as soluções de forma produtiva revela um bom controle emocional. Há muitas pessoas que não sabem trabalhar esse aspecto e acabam piorando a situação.

Já se deparou com situações difíceis?

Nessa etapa você identificará se o candidato sabe trabalhar com as adversidades e que saídas ele busca para superar. Atualmente as situações difíceis acontecem com mais intensidade e para funções desafiadoras é exigível um perfil resiliente nesse sentido.

Como você enfrenta problemas pessoais em ambiente de trabalho?

Sob o aspecto pessoal, também é possível analisar o perfil e extrair informações importantes sobre traços psicológicos do candidato. Além disso, entenda o seu encaixe coletivo e sua inteligência emocional nesse contexto.

O que os seus chefes anteriores dirão sobre você?

É quase como uma “pergunta pegadinha” para o candidato. Nessa etapa você poderá confrontar a veracidade do que foi dito anteriormente e identificar inconsistências. Por outro lado, um perfil tranquilo e confiante nesse momento pode revelar que tudo foi verdadeiro.

Viu como esse tipo de entrevista pode ser fundamental? É uma questão de saber observar o potencial de retorno. Agora é com você! Implemente esse tipo de entrevista ou aprimore os seus modelos atuais. É hora de inovar e reformular o método de entrevista tradicional.

Se você gostou da saber mais sobre a entrevista comportamental, que tal ir um pouco além e conhecer a avaliação 180º nas organizações? Nesse caminho o seu conhecimento de gestão vai ganhar ainda mais excelência!

ebook manual contratação eficiente